Top Ad unit 728 × 90

Ações Ordinárias - Múltiplo P/L


Recentemente voltei a ler o livro escrito por Benjamin Graham, O Investidor Inteligente. Esse livro é referenciado por muitos como a bíblia dos investimentos e eu sou um dos muitos que consideram as informações armazenadas no livro de grande valia para qualquer investidor.

A releitura do livro me despertou o interesse de reavaliar minha carteira de ações, com base nas regras de escolha que o livro propõe.
Para o leitor mais atento, o parágrafo anterior explicitou um erro cometido por esse poupador, afinal de contas reconheci que há muito não faço uma reavaliação da minha carteira, mas vou me policiar para fazer uma vez por ano.

O objetivo principal desse post é fazer um exercício prático com uma das ações da minha carteira e como resultado espero validar se o modo como estou fazendo a avaliação está correto, com toda certeza se tiver algum cálculo incorreto ou alguma informação sendo utilizada de maneira equivocada vou ser gentilmente notificado nos comentários. Adicionalmente também pretendo fomentar uma discussão para identificar outros métodos de escolha de ações ordinárias para investidores defensivos.

A saber, um investidor defensivo é aquele que investe de maneira passiva, ou seja, aloca pouco tempo para tratar dos seus investimentos, procura métodos simples para escolher e avaliar a carteira, tem uma preocupação acima da média com a proteção do principal e não tem aspirações de vencer o mercado mantendo-se pouco exposto a riscos desnecessários. O livro de Graham aborda vários temas, como alocação de ativos, ações preferenciais, ordinárias e etc, porém neste post vou me ater apenas a uma das regras propostas para o componente de ações ordinárias.

Informação mais que importante, não tenho nenhuma formação no mercado financeiro, meus resultados mostram que sou um investidor limitado, portanto o exercício prático que espero fazer servirá também para testar se estou conseguindo fazer a avaliação da maneira correta.

O ativo que vou utilizar para fazer o exercício prático será a Grendene, negociada com o ticket GRND3.

O primeiro passo é ler o livro e entender as regras propostas por Graham. Essas regras estão no Capítulo 5 - O Investidor defensivo e as ações ordinárias.

As regras são:

1 - Deve haver uma diversificação adequada, porém não excessiva.
2 - Cada companhia escolhida deve ser grande, conceituada e conservadoramente financiada.
3 - Cada companhia deve ter um histórico longo e ininterrupto de pagamentos de dividendos.
4 - O investidor deve impor algum limite ao preço que pagará por uma ação em relação aos lucros médios dos últimos sete anos. 

O livro ressalta que critérios definidos por adjetivos como grandes, conceituadas, conservadoramente financiadas serão sempre ambíguos e que seria insensato tentar insistir em critérios arbitrários, portanto as informações das regras devem ser utilizadas como um guia e as regras que o investidor quiser definir para si mesmo e que não violem o sentido de 'grande', 'conceituada' e os demais adjetivos devem ser aceitáveis.

O escopo desse post é a regra número 4, que remete a discussões homéricas na blogosfera financeira sobre a importância do preço, o combate com o valor e o indicador P/L (Preço da Ação dividido pelo Lucro Por Ação).

Pois bem eu gosto da recomendação feita no livro de que o preço não deve exceder 25 vezes o lucro médio dos últimos 7 anos e não mais que 20 vezes os lucros dos últimos 12 meses.

Como eu faço para calcular esses indicadores. P/L (Sete anos) P/L (12 meses)?

O primeiro passo é conseguir o lucro dos últimos 7 anos da empresa, existem vários sites pagos e gratuitos onde a informação pode ser obtida, eu utilizei o site Fundamentus, pois ele fornece uma opção para baixar dados históricos que já vem mastigados no Excel e é grátis!

De posse dos demonstrativos de resultado dos últimos sete anos eu simplesmente peguei as informações da linha Lucro/Prejuízo do Período e somei os trimestres para chegar no lucro anual da Grendene.
Utilizando os dados acima, vamos constatar que o lucro médio dos últimos 7 anos é de 440,859 milhões e vamos fazer uma projeção para o lucro dos últimos 12 meses para 564,157 milhões.

Agora é necessário calcular o lucro por ação, então vamos utilizar o lucro que calculamos acima e dividir pela quantidade ações da Grendene.
No mesmo site que baixei o Excel com o balanço da Grendene também é possível visualizar o número de ações da empresa, a Grendene possui 300,720 milhões de ações. As contas devem ficar assim:

LPA (7 anos) = 440,859/300,720 = 1,46
LPA (12 meses) = 564,157/300,720 = 1,87

Então utilizando a média de lucro dos últimos 7 anos, a Grendene obteve um lucro de R$1,46 por ação e considerando uma projeção para esse ano, ou seja o lucro apenas dos últimos 12 meses, o lucro por ação sobe para R$ 1,87.

Agora apenas precisamos utilizar a cotação atual da Grendene, agora (17/out às 15h00) a cotação está em R$ 18,45 por ação.

A conta final ficará assim:
P/L (7 anos) = 18,45/1,46 = 12,63
P/L (12 meses) = 18,45/1,87 = 9,86

Portanto a Grendene se enquadra na regra número 4, e segundo os meus parâmetros, ela ainda não possui um preço muito elevado que possa adicionar um fator de risco não compatível com o perfil de um investidor defensivo.

A leitura dos indicadores deve ser feita da seguinte maneira, se a Grendene mantiver a média de lucro dos últimos 7 anos, eu teria o retorno do meu investimento em 12,63 anos a mesma interpretação deve ser feita para o indicador que utiliza o lucro dos últimos 12 meses, onde teríamos o retorno do investimento em 9,86 anos.


Espero ter atingido o objetivo principal do post, que era validar o cálculo que eu faço para o P/L das ações, lembrando que essa é apenas uma das regras apontadas pelo livro e é de grande valia para os investidores se aprofundar um pouco mais.

Com esse recente Bull Market da nossa bolsa, começo a ficar preocupado para não comprar valor com preços muito elevados, então vou realizar essa validação com frequência antes dos aportes mensais.
Ações Ordinárias - Múltiplo P/L Reviewed by Surfista Calhorda on 10:42 PM Rating: 5

6 comentários:

  1. Surfista,

    Bem didático ... obrigado por compartilha conhecimento ..

    Abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom que gostou, eu vou tentar fazer outros posts sobre as outras 3 regras e compartilhar um pouco de como eu defini meus critérios.

      Excluir
  2. Surfista,

    Parabéns por mais um post excelente!

    Como diz o mestre Bastter, sócio é ON, de ligado.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca tinha escutado essa frase do sócio, muito legal.
      Valeu pelo comentário.

      Excluir
  3. Oi Surfista.

    Confesso que tive problemas para ler o "O Investidor Inteligente". Apesar de reconhecer sua importância para a história mundial dos investimentos, achei sua leitura longa e chata, rs.

    Também uso o P/L como parâmetro, apesar dele não ser dos mais decisivos para mim.

    Muito interessante o post. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a segunda vez que eu estou lendo ele, realmente ele não é uma leitura fácil, tenho indicado para pessoas lerem capítulos específicos o que facilita.
      O P/L é o centro de uma das regras que o Graham propõe, a estratégia do investidor passivo deve ser simples, então acredito que a junção do P/L, com empresas conservadoramente financiadas, que geram lucros constantes a alguns anos e alguma diversificação, são regrinhas fáceis de avaliar e com toda certeza vão diminuir o risco da carteira.
      Quais são os indicadores mais decisivos para você Investidor Disciplinado?

      Excluir

“Em tempos de embustes universais, dizer a verdade se torna um ato revolucionário.”
George Orwell

All Rights Reserved by Ele não surfa nada! © 2014 - 2015
Share by GFXFree.Net

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.