A tentação de ser um homem bem sucedido!


The Last Judgement foi pintado na parede do altar da Capela Sistina, vocês podem perceber que Jesus Cristo está no centro, de um lado os eleitos sobem ao Céu e do outro estão os condenados que serão levados por Caronte para o mundo dos mortos. Enfim ao ter a ideia de escrever este post, me lembrei de forma natural dessa grande obra prima, peço perdão aos religiosos mais fervorosos, porém acabei associando o conceito de céu e inferno a minha atual situação.

Nota importante: Acredito que o atual conceito de céu e inferno que adotamos foi originado na obra de Dante Alighieri "Divina Comédia", por isso ainda acho que tal associação não deverá ser considerada uma blasfêmia de alto nível no dia do meu juízo final.

Acertando a prosa para o nosso assunto central, as finanças, venho aqui confessar-lhes que tenho sentido alguma fraqueza em relação a tentação de ser um homem bem sucedido, nos últimos meses tem passado pela minha cabeça a possibilidade de realizar a aquisição de um carro novo, já me peguei olhando modelos que ultrapassam os 100k e também olhando carros seminovos na faixa de 80k, como Mercedez, Audi e BMW que não devem ser nada fácil de manter, a manutenção deve custar uma fortuna.

É tragicômico como as pessoas medem o seu sucesso pelos bens materiais que você possui, ai você olha para o lado o cara tem um carro de 100k, financiado em não sei quantas vezes, tem um apto legal, financiado até o final da vida, tem viagem para a Europa financiada em não sei quantas vezes, tem festa de aniversário do filho em salão chique... Se formos enquadrar o patrimônio desse indivíduo da maneira correta ele com toda certeza é mais pobre do que muita gente, pois o Ativo - Passivo deve gerar um número de patrimônio negativo.

Outra coisa infernal, são os anúncios selecionados, bastou eu pesquisar uma vez sobre o valor de carros no Google que toda hora me aparece um anuncio de oportunidade imperdível para comprar uma Mercedez, um Audi Q3 ou uma BMW... Recentemente começaram a aparecer algumas Land Rovers... A batalha contra essa enxurrada de tentações, as pessoas próximas questionando o motivo pelo qual não dou mais conforto para minha família comprando um carro melhor, o motivo pelo qual eu ainda não fui levar meus filhos para Disney...  É um assunto complicado.

A última novidade das pessoas mais próximas é a pressão para eu comprar uma casa na praia, sei que  existe o interesse dessas pessoas em conseguir um lugar para sair no final de semana, mas nisso acertaram meu ponto fraco, agora fico pensando o quão interessante seria ter uma casa na cara do Gol, para deixar minhas pranchas, ir todo final de semana conferir as ondas e treinar uma remada.

As tentações são muitas, elas te fazem pensar... "- Eu trabalho tanto, tenho sido tão regrado com minha poupança, porque eu não poderia ter um carro melhor? Posso pagar à vista! Será que seria tão ruim? (Sim seria!!!) Mas eu consigo recuperar esse patrimônio em um ano ou no máximo dois."
O tem aquela clássica: "- Preciso aproveitar o presente, ninguém sabe o dia de amanhã..."
Facilmente me pego no auto convencimento que o suicídio financeiro seria bom.

Toda essa confusão as vezes dificulta enxergar o óbvio!

Meu atual carro me atende perfeitamente, coloco o rack de ventosa, amarro as pranchas e praia...
Uma casa na praia? Não seria ruim, mas atualmente eu não desço para a praia com a família todos os meses, com toda certeza, eu continuaria fazendo o bate e volta aos domingos, pois tenho compromissos aos sábados com certa frequência... Então uma casa na praia ficaria lá fechada por semanas, pois é, vou esperar a IF para me mudar de vez para a praia, esse seria o melhor negócio.

Quando você tem um certo patrimônio e possibilidade de comprar à vista, você precisa ficar muito atento para não desviar do caminho e cair no conto do ser humano bem sucedido, com posses e que é admirado pelas pessoas próximas, meu patrimônio está começando a tracionar, tirar o pé do acelerador com toda certeza seria terrível.

Quando comecei a investir, não fiz isso sozinho, éramos em 3 Patetas, o 1º Pateta nunca passou dos 20k de patrimônio, pois ao atingir esse patamar sempre fazia a viagem da vida e torrava todo o capital, o 2º Pateta foi mais longe, chegou nos 80k e comprou um carro, se tornou um homem bem sucedido e agora batalha para manter seu status, o 3º Pateta, que sou eu, está lutando para não cometer o mesmo erro e continuar no caminho para ter liberdade, tempo com os filhos, horas de surfe durante o horário comercial.

O amanhã é incerto, mas acredito que manter o equilíbrio no presente é essencial para que cada dia a mais de vida seja melhor e melhor.

Post confuso mesmo, retrata minha atual situação. Isso é tudo!
A tentação de ser um homem bem sucedido! A tentação de ser um homem bem sucedido! Reviewed by Surfista Calhorda on 1:08 AM Rating: 5

43 comentários:

  1. Eu tento manter o equilíbrio entre presente e futuro.

    Fiz minhas contas de quanto eu queria aportar mensalmente ao longo de 30 ou 35 anos. Já se passaram 11 anos e sigo aportando o mesmo valor, corrigido pela inflação, claro.

    Estou longe da IF, mas estou no caminho esperado conforme o planejado. A parte boa de fazer isso é que, sabendo onde quero chegar e do que e necessário, posso me dar a alguns luxos no meio do caminho, desde que não prejudique os aportes. Nesse meio tempo, compramos nossa casa (sem sacar essa parte da aposentadoria e mantendo os aportes), viajamos, tivemos filhos, troquei de carro (uma vez só, mas troquei).

    Poderia estar melhor no rumo da IF? Sim, e muito. Mas está do jeito planejado e isso já me alivia. Não dá pra esperar terminar de juntar dinheiro pra viver. A gente nunca termina de juntar dinheiro, entao tem que dar um jeito de casar as duas coisas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anon fantástico, o planejamento é realmente muito importante, eu estou tentando seguir na mesma toada. Já tenho algumas realizações, casa, família, boas viagens na memória... É bom olhar para o que já vivemos e sentir orgulho, estou a cada ano buscando estar mais equilibrado, mas recentemente essa necessidade de consumo vem me incomodando e eu senti que comecei a fraquejar no momento que comecei a pesquisar preços e produtos com alguma frequência.
      Muito obrigado pelo comentário.

      Excluir
  2. Li apesar de ser o mesmo teor de recentíssimo post do VDC. Quem são os três patetas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. The Three Stooges, um deles posso dizer que sou eu. Anon no começo da jornada nenhum dos 3 tinha intenção de criar um blog, mas pelas histórias que eu conto nos posts, se algum desses dois amigos tiveram a oportunidade de ler eles com toda certeza sabem quem eu sou. E talvez você seja um deles. Se for me liga, faz tempo que não conversamos! Senão for, desculpe mas não posso dizer quem são.
      Eu fui ler o post do VDC, o teor é realmente parecido, mas foi bom ler o post do VDC, o patrimônio dele é muito maior que o meu e mesmo assim ser um homem bem sucedido causaria um bom estrago.

      Excluir
  3. Excelente texto, surfista!
    Faz tempo que vc não faz um post assim tão informal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Anon, eu não sou um bom comunicador e também não tenho tanto conhecimento sobre investimentos para compartilhar no blog, porém analisando as 3 histórias que tive proximidade identifiquei que é difícil resistir as tentações de consumo depois de juntar algum patrimônio, afinal de contas ter um carro bom, fazer viagens bacanas ajuda muito em se tornar uma pessoa mais atraente e conquistar a admiração das pessoas...

      Excluir
  4. Grande Surfista,
    Artigo interessante. Gosto quando os colegas fazem essas reflexões sobre si mesmos.
    Olhe só para você. Lembro quando começou a escrever, mais ou menos na mesma época, patrimônio bem pequeno. Alguns anos depois, um bom patrimônio, experiência aumentando com imóveis, mais tranquilo a respeito de si e a vida. Um carro tipo uma BMW, convenhamos, é uma belo bem material. Algumas pessoas acreditam que de certa forma eu "criticaria" quaisquer bens materiais. Nada mais longe da verdade. Um iate é algo lindíssimo do ponto de vista estético, assim como um hotel 6 estrelas em Dubai.
    Porém, como bem refletido por você, a vida é feita de escolhas. Se as escolhas sempre pendessem para o consumo, você ainda seria o Primeiro Pateta.
    Eu creio que o que você pode fazer é o que muitos escritores escrevem: dê-se algo significativo depois de atingir uma meta.
    Duas semanas em Mentawai surfando vão explodir a sua mente enquanto surfista, você vai pegar mais onda boa lá do que surfaria em 10 anos no Brasil, ainda mais se só pode surfar no fds.
    Ou leve a sua família em alguma viagem bacana, não precisa ser necessariamente caro, sempre que observo famílias viajando o grau de diversão das crianças é diretamente proporcional ao tempo de atenção que os pais dispensam a elas.
    Enfim, colega, um ótimo domingo.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ops, terça-feira (está com uma cara de domingo:) )

      Excluir
    2. Muito bom seu comentário, outra base que posso utilizar para manter a mente focada no consumo consciente é minha surf Trip desse ano, vou gastar 5k para passar 10 dias, surfando muito! Um carro que seja imponente hoje não sai por menos de 100k, dá para fazer 20 viagens como a que vou fazer e tenho uma ligeira impressão que essa viagem vai me trazer muito mais experiência e felicidade do que a aquisição de um carro novo.
      Sobre a viagem com a família, um final de semana na praia em um bom hotel já algo fantástico para as crianças, tenho me organizado para ter pelo menos um final de semana especial para os meus filhos todos os meses. Quando digo um final de semana especial, pode ser uma visita ao zoológico, ir ao aquário ou passar o final de semana na praia... Tudo isso conta e não são atividades que demandam fortunas.

      Excluir
  5. Olá Surfista!
    Muito boa essa reflexão! Percebo que o caminho do meio é muito difícil, não sou do tipo frugal, nem perdulário. Tento achar uma solução de compromisso entre aproveitar o presente e garantir minha aposentadoria precoce.
    Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já faz algum tempo que eu estou tentando encontrar esse equilíbrio também, mas já me decidi que se eu tiver que pesar a mão para um dos lados será para o lado frugal.

      Excluir
  6. Surfista! também sou cobrado para trocar de carro, comprar um apartamento, não costumo ligar para aparências, se fosse comprar, iria pelo conforto que me proporcionaria um carro bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não sou muito ligado as aparências, mas é difícil resistir a tentação.
      Não dá para ter um carro que seja maior que 10% do seu patrimônio, me lembro que o Uó dizia isso, então vou me manter nos populares e quando tiver 1 MM vou reduzir para 5%.

      Excluir
  7. Disse tudo, além das aparências tem a questão do custo beneficio como na questão de comprar um imóvel na Praia, para deixar fechado? não dá né... se fosse sempre usar até faz sentido, mas como você mesmo disse que é esporádico, o dia que quiser ir ficar mais dias, pode alugar um imóvel somente a temporada e já era !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A tacada certa é atingir a independência financeira e ir morar na praia.

      Excluir
  8. na minha opiniao:

    quanto ao carro pra dar conforto e segurança pra sua familia = concordo,se o seu carro estiver ruim,voce pegar um carro com maior SEGURANÇA qualidade economia e conforto eu acho valido!! nao precisa ser um carrão de +100k mas há boas opçoes por menos que isso.

    Minha meta é ter uma mercedez c250 pra cima,admiro muito estes carros mas só compraria se realmente não fizesse questão de gastar grana a toa,porque carro aqui no brasil é tenso em questao de preço,nao vale o preço que é.

    Casa na praia= negativo,muito melhor voce pensar em alguma outra alternativa...vai ter a casa la parada pra que ? pra parente ficar enxendo o saco depois e reclamando que voce tem casa na praia e nao libera o uso ? pense bem..voce tendo uma casa na praia vai ser um tipo de reclamaçao,voce nao tendo vai ser outro tipo,parente sempre enche o saco.
    Agora se fosse pra voce morar na praia ou ir com uma frequencia bem grande,ai sim acho que seria bem legal a ideia de ter casa propria na praia!!

    A verdade é que voce tem de avaliar de onde vem o sentimento de ter essas coisas,necessidade ou vontade apenas ? a vontade vai passar depois que voce comprar ou vai querer algo melhor?

    As vezes não compensa voce se precipitar agora só porque esta com vontade de alguma coisa e demorar mais 1 ou 2 anos pra recuperar o patrimonio e depois gastar de novo porque surgiu algo melhor,vai acabar entrando naqueles loopings infinitos... sempre vai ter algo melhor,guarda o cashflow ai e espera surgir alguma alternativa realmente boa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa veterinário, sobre o carro o meu atual é popular, mas é novo e seguro.
      O lance de avaliar a origem do desejo é interessante, é só eu me questionar se quero isso para mim ou para os outros verem que eu tenho, a resposta geralmente é fácil, mas nosso racional as vezes fica nocauteado, o lance é sempre segurar o impeto, aí dá tempo para abrir a contagem e o racional se recuperar.

      Excluir
  9. Sobre os anúncios em sites, tente utilizar a extensão ublock origin no firefox chrome ou edge. https://en.wikipedia.org/wiki/UBlock_Origin

    ResponderExcluir
  10. Carro de luxo: resista à tentação. No final, todos atendem à mesma função básica, que é transportá-lo para cima e para baixo. Há diferenças enormes em desempenho e conforto entre os diversos modelos, mas, tirando ar condicionado em regiões bem quentes (cidades com temperaturas constantamente acima dos 30°C), nada disso me parece indispensável no dia a dia.
    Casa na praia: Se não for para morar, nunca valerá a pena. Se faz questão de ir à praia, fique em uma pequena pousada ou hotel. Vai gastar muito menos e não terá que se preocupar com arrumação, limpeza, conservação do imóvel, abastecimento de comida, etc.
    Filhos na Disney: se não for um custo muito elevado frente à renda familiar dá para fazer uma ou duas vezes na vida. Se a renda não permitir, busque alternativas mais simples, como viagem locais. Ninguém morre por não ir na Disney. Cresci sem isso e não carrego nenhum trauma, apesar de ter sido um sonho não realizado na infância. Minhas filhas já foram à Disney duas vezes, mas posso assegurar que elas gostam da precária cidade das crianças, em São Bernardo do Campo, com a mesma intensidade. Quase sempre, a perspectiva das crianças é muito diferente da nossa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E cresci sem Disney e agora crescido continuo sem kkk. Mas é incrível, eu realmente me pergunto se a Disney é tão boa assim, ou se as pessoas que vão para se gabar das suas condições supervalorizam a experiência... Quero meus filhos no surf comigo, assim quando eles quiserem se divertir vão pedir para eu levar eles para o Hawaii, Mentawai e por aí vai.
      Sobre os carros de luxo, tem outra variável que precisamos sempre recordar, o Brasil não é seguro para pseudo ricos, e talvez nem para os ricos de verdade, nosso desigualdade é muito grande, andar de Mercedez, BMW é como andar com um alvo na testa para sequestros relâmpagos e outras ações violentas. O negócio é andar de carro acessível para a maioria da população.
      Valeu!

      Excluir
  11. Você já pensou em simplesmente matar o tesão alugando um carro foda por certos dias?

    Eu uso essa estratégia algumas vezes na minha vida.

    Por exemplo, você quer muito um Mercedes. No entanto, você sabe que esse é um desejo de status e também o desejo de experimentar algo novo, seu cérebro está ansioso por uma recompensa de dopamina e serotonina após tantos anos de austeridade para ver aumentar seu patrimônio.

    Como você dá ao seu cérebro essa recompensa?

    Simples, uma dose de futilidade suficiente para aliviar a tensão e uma dose de prazer de longo prazo.

    Você pode, ao invés de comprar um carrão por 100k, simplesmente se dar a liberdade de alugar um carro super foda por alguns dias. Ao invés de gastar 80k por uma BMW usada, por que não alugar um Audi novo em folha na Localiza e rodar com ele por alguns dias? A diária média é R$ 400.

    Já a dose de prazer de longo prazo é gasta com algo construtivo, como uma ida ao dentista para cuidar da sua higiene ou um dia no spa cuidando da sua pele. Qualquer coisa te acrescente como pessoa.

    A minha fórmula mata tesão consumista é simplesmente comprar o que quero pela internet, devolver no prazo de arrependimento e solicitar o estorno do dinheiro. Fiz isso há 1 mês com um Iphone X no site da Apple BR. Comprei o smartphone de 8k, solicitei a devolução dentro de 14 dias e peguei todo o meu dinheiro de volta. Tive 21 dias com ele que mataram o meu desejo fútil de gastar 8k em um aparelho de celular.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeitosamente gostaria de fazer um elogio e uma crítica.

      O elogio é para sua ideia de alugar o carro, pois é uma forma menos custosa de realizar um desejo que possivelmente desapareceria após algumas semanas de propriedade do bem.

      A crítica (e não veja isso como uma ofensa, mas sim como um outro ponto de vista para que reavalie sua atitude) é para a ideia do celular.

      Se você sabe de antemão que não pretende ficar com o produto, não há por que comprá-lo e exercer o direito de arrependimento logo em seguida.

      Ainda que a lei garanta o direito de arrependimento nas compras à distância em um prazo de até sete dias (não 14, como postou), a situação que descreveu parece um mau uso desse direito (que nem sei se deveria existir), impondo ao empreendedor o custo do frete de entrega e devolução e, eventualmente, o da revenda do produto por um preço menor, já que passou a ser seminovo.

      No primeiro exemplo sua atitude estimula um negócio (aluguel de carros), no segundo, torna-o mais oneroso ou mesmo o inviabiliza, gerando um custo que será repassado a toda a sociedade.

      Todos aqui (nós dois incluídos) somos pessoas de bem, por isso peço que reflita melhor sobre esta estratégia.
      Abraço.

      Excluir
    2. Gostei da ideia de aluguel do carro de Luxo para uma viagem no final de semana, mas será que dirigir um desses não ia dar mais vontade de comprar um... O Soul Surfer disse algo muito interessante, ele comentou que precisamos alimentar o nosso cérebro com novidades, talvez uma viagem para um lugar bem diferente, outras experiências possam ser um bom remédio contra esse impeto consumista.
      Sobre o celular, é um direito a devolução, e como o Anon 20:53 mencionou existe uma questão ética que pode ser debatida, mas de verdade com esse monte de anuncio bombardeando a nossa vida é fácil cair na tentação de comprar algo de valor elevado, se eu estiver um dia nessa situação não vou ter melindre para tentar acionar a devolução e o ressarcimento.
      Acho incrível como os canais da TV fechada para crianças fazem o uso abusivo das propagandas para crianças, julgo esse tipo de iniciativa, acho que ela não ética, afinal é jogo baixo ficar induzindo os adultos então imagina as crianças. O mundo é realmente complexo. Será que a pessoa que quem criou essa lei da devolução, também não pensou nas pessoas que compram impulsionadas pelas propagandas e depois percebem o suicido financeiro que cometeram?

      Excluir
  12. Olá Surfista,

    Realmente essa tentação do carro é diária. Comecei a guardar dinheiro e investi-lo recentemente. Vivia pagando juros e mais juros (e ainda pago), para financiar meu padrão de vida, que estava bem acima de minhas condições. Mesmo assim, meu carro era (e é), um popular. Comprei ele 0km. Já se vão 8 anos do carro. O brabo é saber que agora poderia ter um carro um pouco melhor...vejo meus colegas me fazendo cara de coitado quando apareço com meu 1.0 ralado...dá vontade de mandar todos pra pqp... Pra ter uma idéia, meu carro atualmente vale 2X o valor líquido dos meus rendimentos mensais. Vejo colegas que com carros de 10x, e 20x o valor líquido de seus salários, e isso dá uma confusão danada na cabeça....mas seguimos em frente, rumo ao que nos propusemos.
    Forte abraço,
    IV

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viking 20x é agressivo demais, mas eu concordo com você que acontece e infelizmente não é tão raro. Esses dias a pessoa que esporadicamente ajuda com os afazeres domésticos aqui em casa me disse como ela criou seus filhos, ela estava se lamentando que o filho pegou um dinheiro emprestado e não devolveu. Ela me disse assim "Senhor Surfista eu sempre criei meu filhos na doutrina de Deus, sempre ensinei que eles NÃO PODIAM GASTAR MAIS DO QUE GANHAM e agora preciso enfrentar uma decepção dessas." Apesar de simples a frase, tem um poder muito grande.

      Excluir
  13. Ola Surfista,

    Nao sabia que voce tinha filhos, que bacana cara, legal demais.

    Entao, postei algo similar na penultima postagem, estou na mesma amigo Surfista.

    Meu caso se trata da pressao em trocar de imovel e comprar "a cobertura" e um carro mais caro, 100K.

    No final das contas estou pensando no tanto que terei que gastar pra manter esta nova realidade de gastos a mais.

    Logicamente gostariamos de ser bem sucedidos perante a sociedade, mas, sera que vale a pena? Voce compra a casa na praia e ja vai pensar em algo acima disto, o mesmo para o carro.

    O ideal é seguir aportando e desfrutar parte deste esforço, nao da pra viver 10 anos apenas juntando, sem viajar, sem comprar as coisas, etc.

    De tempos em tempo este pensamento de gastar pois merecemos surge, entao lembre da tranquilidade que o atual patrimonio lhe da e o quanto propiciara la na frente.

    Abraçao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De verdade meu patrimônio já me dá uma excelente tranquilidade, desde que eu mantenha o meu custo de vida nos patamares atuais. Um apto maior, vai gerar mais gastos com condomínio, manutenção, impostos... Todo conforto adicional que pode ser comprado gerar passivos maiores também.
      Mas concordo plenamente com você precisamos encontrar nosso ponto de equilíbrio ou tentar sempre estar próximo dele, os extremos não são realmente bons.
      Valeu pelo comentário.

      Excluir
  14. É meu amigo, não é fácil mesmo
    Também sofro a mesma pressão, e olha q meu carro está um pouco acima das minhas necessidades (é que "ganhei" na compra, que foi de um parente), em contrapartida, posso ficar com ele por um bom tempo.

    Moro com a família. E com quase 30, tendo um salário "mediano", rola uma pressão pra morar sozinho e tal. Dá vontade também, mas nessas horas foco nos motivos que me levaram a não morar só até agora.

    Quanto às propagandas, já escrevi sobre isso. --- https://funcionariopublicoinvestidor.blogspot.com.br/2016/10/como-eu-diminui-minha-vontade-de-gastar.html. --- Evitar se expor a certas coisas, facilita muito.
    Depois, usa algum bloqueador de propagandas e, quando for pesquisar, use abas de navegações anônimas.

    Abc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FPI eu li o post, muito bom por sinal! Sobre morar com os pais é sucesso quando você se da bem, do contrário vale o investimento para ir morar sozinho.
      Valeu pela indicação do post!

      Excluir
    2. Pior sou eu com quase 30 e salário medíocre, eu queria sair de casa e até fazer mais pela minha família, mas a grana não dá.

      Excluir
    3. Carinha 30 anos não é sinal de nada, você tem muito tempo pela frente... Eu ficaria tranquilo em relação a idade.

      Excluir
  15. Muito boa a reflexão! Também vivo esse dilema, as pessoas mais próximas a mim não pensam da mesma forma que eu. Tenho 23 anos e estou no caminho da IF, é uma caminhada difícil onde precisa de muito foco para não desviar do objetivo. Parabéns pelo Blog, vou começar a lhe acompanhar. Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um grande desafio Diego, comprar uma casa melhor, um carro melhor e impressionar os outros. No caminho da IF isso deve ser evitado... Mas que é tentador, não se pode negar!

      Excluir
  16. Prezado amigo surfista, esse eh o canto da matrix. Nao caia nessa, nada de presentinhos pq vc chegou longe.

    https://frugalsimples.blogspot.com.br/2017/03/como-resistir-matrix-e-por-que-voce.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li o post, muito interessante o lance da Deep Web, vou pesquisar sobre o tema com mais afinco e vou tentar instalar o TOR.
      É realmente difícil escapar do consumo que tentam nos forçar, das características e atitudes que a sociedade exige de você para uma aceitação.
      Um belo desafio, obrigado por compartilhar o conteúdo.

      Excluir
  17. Surfista, outra coisa, esses carros são muito visados pela bandidagem, audi, bmw, mercedez... etc. onde vc mora é seguro assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seguro? Tá de brincadeira, não dá para andar nem de bicicleta sossegado.

      Excluir
  18. Surfista, recentemente comprei uma carro melhor. Isso aconteceu por que chegamos a uma meta de patrimônio. Obviamente, isso impacto as minhas finanças, mas o ganho de qualidade de vida foi proprorcional. Eu e minha família fazemos bastante viagens longas e um carro mais confortável era necessário. Não gastei uma fortuna comprando um carro, peguei um semi-novo e estou feliz. Somado a isso, tinha a questão profissional, que demandava uma melhor aparência. Mas isso realmente é algo muito pessoal e que devemos avaliar com muito cuidado.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A verdade é que gastar 80k num carro não iria arruinar minha caminhada, mas daria uma bela reduzida no ritmo. Porém não tenho boas justificativas para fazer um upgrade no meu automóvel, então vou continuar no popular com direção e ar.

      Excluir
  19. O que fode o Brasil é que aqui bens como carro e casa, custam o preço de um rim, temos salários pífios em maioria, o poder de compra da nossa moeda é baixo, até quem ganha bem tem de se sacrificar um "pouco".


    Graças a internet as pessoas enxergaram essa verdade sobre o nosso país ser uma grande mentira.

    Lá fora coisas que consideramos de homem bem sucedido são acessíveis a classe média. O que me deixa puto é o brasileiro julgar o outro pelos bens, origem e etc. como se quem você é não valesse nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carinha, isso é uma verdade, os bens que são acessíveis a classe média de países desenvolvidos são realmente muito melhores, mas sobre a distinção de classes, sempre existe um limite que vai dividir a classe média da classe alta, a diferença é que lá fora o sarrafo da classe média é mais alto.

      Excluir
  20. Se você está procurando apartamentos de alto padrão na praia, conheça a Riviera de São Lourenço. Um ótimo lugar para investimentos! Acesse: www.pratesimoveisriviera.com.br

    ResponderExcluir

“Em tempos de embustes universais, dizer a verdade se torna um ato revolucionário.”
George Orwell

Tecnologia do Blogger.