Atenção no lugar correto, pois temos uma capacidade limitada


Recentemente voltei a ter contato com algumas postagens do blog do Uó, fiz alguma modificação na minha página com a lista de blogs que fez com que alguns blogs saíssem do meu radar de acompanhamento, sem que essa fosse a minha real vontade, por isso estava sem ler os blogs dele recentemente. Voltando para o fato gerador dessa postagem, lá no blog do Uó ele relata que tem logrado êxito em ser remunerado pelo trabalho de compartilhar conteúdo e manter seus sites no ar.

Acho que minha reação ao ler a postagem foi bem trivial, me interessei e decidi que talvez também pudesse ser uma alternativa para mim, avaliei rapidamente que já tenho mantido esse blog por alguns anos, apesar de não ter um padrão elevado de qualidade nas postagens, sim sim sim o blog é amador, eu poderia investir um pouco mais de tempo para estudar os temas que quero abordar com mais profundidade, assim eu poderia aumentar a qualidade das postagens, poderia incrementar a quantidade de acessos e poderia compartilhar as informações que eu acredito com mais pessoas.

Passei cerca de 3 dias lendo sobre SEO, lendo textos explicando como escolher o nome do blog, pesquisando melhores opções para reservar um domínio, fazer a hospedagem do site e pensando quais seriam os assuntos que eu priorizaria no novo blog... Sim já havia desistido de repaginar o blog amador, o nome não ajuda e tem muitos outros fatores que não ajudam, me conforto quando penso que todo o processo de estruturação desse blog teve um objetivo muito peculiar, de verdade, eu somente queria que ele fosse uma ferramenta para eu registrar meus fechamentos mensais.

No meio de todo esse processo de descoberta percebi que fiz uma imersão nos dias que estava buscando informações para a nova iniciativa, deixando algumas outras tarefas em segundo plano.

A descoberta

A ideia de manter o blog e conseguir uma remuneração de US$ 1500,00 por mês realmente é atrativa e muito factível, nesses 3 dias de pesquisa constatei que obter um resultado como esse é sim muito possível, porém a grande descoberta não foi validar a tese da rentabilidade que um blog poderia trazer, a grande descoberta foi que a minha atenção é limitada e eu preciso decidir de maneira muito racional onde eu vou investir minha atenção. Tudo bem não foi um despertar tão repentino assim, já faz algum tempo que venho refletindo sobre o dipêndio de atenção nos lugares corretos.

A confirmação

Fiz um retrospecto focado nos assuntos que eu deixei pelo caminho aqui no blog, são vários, porém acho que o mais relevante é a planilha de controle de investimentos, então vou tentar reproduzir com mais detalhes o que se passou na minha reflexão sobre o tema.

Após alguns pedidos, foram poucos no início, eu decidi fazer uma reorganização na planilha de controle de investimentos para compartilhar com as pessoas que passavam pelo blog de vez em quando. Minha ideia original não era ter uma planilha perfeita, eu tinha uma sensação que poderia compartilhar a planilha e que ela poderia ser melhorada pela Finansfera, assim eu poderia ser beneficiado também pelas evoluções que as pessoas iriam desenvolver, modéstia à parte a aba que eu preencho as operações é muito boa.
A planilha aumentou a visibilidade do blog, foi um grande propulsor de acessos e me senti remunerado inicialmente com as mensagens das pessoas agradecendo por eu ter compartilhado a planilha. Após algumas semanas vieram também as críticas, as dúvidas, pedidos de ajuda e alguma chateação.

Me mantive firme e após alguns meses fiz algumas melhorias e compartilhei uma nova versão, sim ela continha erros, fiz questão de reforçar isso na mensagem que compartilho o link para download da planilha, e em um cenário onde o número de acessos ao blog aumentou bastante, o volume de críticas, contatos pedindo ajuda e reclamações aumentou bastante também. Eu até tinha um sonho mais utópico de desenvolver um sistema para controle de investimentos, mas a ideia também foi perdendo força ao longo dos anos.

Já faz algum tempo que eu abandonei o projeto da planilha de controle de investimentos, na verdade não abandonei o projeto como um todo, eu parei de compartilhar as evoluções que eu fiz, pois o trabalho para deixar a planilha mais fácil de entender e tirar as dúvidas das pessoas era muito grande o meu propósito principal era ter uma planilha que atendesse as minhas necessidades, no fim eu percebi que toda atenção que eu estava dedicando nas tentativas de melhoria da planilha para disponibilizar aos outros estava fazendo com que eu dedicasse menos atenção a outros pontos importantes naquele momento e que não havia um retorno interessante que me motivasse a manter o trabalho de desenvolvimento da planilha. Esse ponto do retorno é muito importante, todas as nossas escolhas tem algum 'Trade off' e para continuarmos uma empreitada a parte boa deve ser interessante para que possamos suportar a parte ruim. Exemplo de 'Trade off', surfar é muito bom, pelo menos para mim, porém toda vez que vou surfar, preciso acordar cedo, amarrar as pranchas no teto do carro, dirigir até a praia e quando está frio, preciso vestir a roupa de borracha, passar parafina, apertar as quilhas, enfrentar as baixas temperaturas, a dificuldade para passar a arrebentação, disputar ondas com outros surfistas no 'outside'. No final do surf, preciso voltar para o carro, tirar a roupa de borracha, amarrar a prancha em cima do carro, dirigir até em casa e ainda aguentar um frequente mal humor da minha digníssima esposa. O 'Trade off' do surf para mim é bem pesado, mas eu gosto tanto de ir surfar que todo esse trabalho não me impede de correr atrás dos momentos onde eu estou deslizando sobre as ondas e no fundo até o que parece ser a parte ruim me faz feliz também.

Enfim, voltando para o curso principal do post, no caso da planilha a escolha natural foi despriorizar os ajustes para compartilhar o trabalho e continuar com a evolução para o meu uso individual. Após ler alguns pedidos de ajuda que eu não atendi, ler críticas construtivas e ler críticas destrutivas confesso que tive alguns momentos de dúvida se eu havia tomado a atitude correta, afinal trouxe alguma expectativa para algumas pessoas e no meio do caminho sai de cena, não me parecia uma atitude das mais nobres, mas eu tinha certeza que deveria dedicar atenção a outras coisas que tivessem um retorno mais interessante para mim. Importante ressaltar esse retorno nem sempre é financeiro, existem outras tipos que são muito importantes para a vida.

Com a conclusão dessas reflexões dos assuntos relacionados ao blog, entendi claramente que a iniciativa de semiprofissionalizar o blog seria abandonada após alguns meses, pois nem mesmo alguma remuneração financeira faria com que eu despriorizasse outras atividades, e acho que seria bem difícil superar a remuneração do meu trabalho com o blog, para ter um lugar para ele na minha agenda diária. O trade-off de semiprofissionalizar o blog não iria valer a pena e eu ainda ficaria com um sentimento ruim quando perdesse meu ímpeto no meio do caminho, deixando leitores sem resposta. Isso acontece nesse blog amador, mas esse aspecto de amadorismo é a minha muleta, eu compartilho informações aqui sem compromisso, no fim dia o blog é sempre um diário pessoal que eu acho que nem deveria estar público na internet para outras pessoas lerem.

O veredito

Ao longo do tempo, e fazendo um reflexão em relação as atividades que ficaram pelo caminho e as que perduraram, tem ficado mais claro que minha energia é limitada e sempre preciso reavaliar onde estou gastando ela, existem disputas que não devem ser encaradas.
Em situações menores fica ainda mais fácil perceber como nossa atenção é limitada, tente fazer contas complexas e cuidar de um recém nascido, com certeza algo não vai sair bem e espero que todas as contam estejam erradas no fim da experiência.

Eu demoro muito para acertar atividades que tragam um retorno que tenha valor para mim, mas tenho obtido resultados cada vez mais eficazes em reavaliar onde minha atenção/energia está sendo dedicada, portanto se estou investindo minha capacidade de realização em algo que não está trazendo um retorno no presente e o retorno esperado no futuro também não é dos mais interessantes eu não me faço de rogado e logo dou cabo da atividade para arriscar com outras empreitadas.

Além de ter ficado mais eficiente em decidir onde não vou gastar minha energia, também tenho ficado mais eficiente em decidir onde realmente devo dedicar minha energia. Posso utilizar o exemplo do surf novamente, tenho alguns amigos que se propuseram a aprender a surfar, alguns eram dotados de uma boa capacidade física e conseguiram ficar em pé em cima da prancha logo no primeiro dia, porém no 'inside', ou seja se deslocaram reto apenas na espuma, porém passar a arrebentação e correr a parede de uma onda já não é tão trivial assim, depende de mais horas de dedicação e sou categórico em afirmar que nenhum deles resistiu a dificuldade da jornada, alguns por falta de vontade mesmo e outros por não enxergarem um benefício tão interessante. Em todos os casos eles abortaram a missão do surf, pois com toda certeza avaliaram que toda a energia gasta, todo o perrengue, não tinha um benefício atrativo para eles... E eu parei com esse negócio de tentar ensinar os meus amigos a surfar, pois nunca consegui ser bem sucedido, eu esperava ter companhia no carro para ir até a praia e alguém para rachar as despesas com combustível o que eu até consegui ao preço de ter a sessão de surf prejudicada ficando perto dos amigos no inside e dando as orientações básicas, não gasto mais tempo tentando angariar novos surfistas para me acompanhar e foco minha energia em ter o meu momento de prazer e de surfar as minhas ondas. Aqui preciso deixar mais um ponto claro, eu antigamente ficava chamando as pessoas para ir surfar comigo, o que gerava um compromisso da minha parte em emprestar a prancha de surf e ficar dando orientação, agora não chamo mais, se um amigo me procurar para ir para praia comigo eu geralmente aceito e até empresto um prancha velha que tenho em casa, fico próximo alguns minutos explicando dando orientações básicas, mas depois vou para o outside curtir o meu surf sem ter a preocupação de ter convidado a pessoa e não estar dando atenção para ela.

Para finalizar, peço desculpas aos leitores desse blog que esperavam atualizações da planilha de controle de investimentos, infelizmente eu reavaliei essa atividade e decidi que iria depositar minha atenção/energia em outros lugares e também deixo o alerta que precisamos escolher com um pouco de cuidado quais são as batalhas que vamos enfrentar e quais são as que devemos continuar lutando, pois nossa capacidade de dar atenção as atividades é limitada.
Atenção no lugar correto, pois temos uma capacidade limitada Atenção no lugar correto, pois temos uma capacidade limitada Reviewed by Surfista Calhorda on 8:00 AM Rating: 5

4 comentários:

  1. Muito legal ter contado a história do seu blog. Seu blog é muito bom!

    É verdade, nossa atenção e nosso tempo é limitado, temos de fazer escolhas.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo comentário! Nossa atenção e nosso tempo é muito valiosa.

      Excluir
  2. Surfista essa é a regra do "Trade-off" escolha sabiamente meu amigo!

    Forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entrar só nas brigas que valem a pena. Valeu Galo.

      Excluir

“Em tempos de embustes universais, dizer a verdade se torna um ato revolucionário.”
George Orwell

Tecnologia do Blogger.